26/01/2009

4 comentários:

Alice Salles disse...

É... la vamos nós 'tráveis.
Irão fazer uma "busca" no Afeganistão pelo "mal do terror" e já mostraram total apoio a Israel - novamente. Já vai ele me decepcionando.

A Flor do Sul disse...

Genocídio perpetrado pelos judeus contra os palestinos, bla bla bla... Chega desse clichê estúpido.
O ultimo conflito sequer pode ser chamado de israelo-palestino, já que nem todos os palestinos estão com o Hamas(estes sim, assassinos e genocidas em potencial, pois seu alvo declarado é a população civil judia), especialmente na Cisjordânia.
Anti-sionismo é uma forma de anti-semitismo.

Paulo Barbosa disse...

Anti-sionismo não é anti-semitismo não, senhor Abdoul!!! (E de onde parte a inferência de que sou anti-sionista? Tampouco sou anti-semita!Vá acusar outro!!!) Saiba que, entre os judeus, no pós-guerra, havia correntes contrárias à criação do estado de Israel naquela geografia. Assim como há, hoje, correntes contrárias ao massacre promovido pelo governo israelense na Faixa de Gaza, espetáculo sangrento que podia ter sido evitado (já você, Abdoul, parece gostar da barbárie sanguinolenta, não é mesmo? Fique com ela pra você. Mas não tente me vendê-la.). Mais: o Hamas não é um grupo fanático. É um grupo popular de esquerda, de origem sunita. O que preocupa o Egito e a Arábia. Vá se catar, ô cara!!

Bira disse...

Ótima charge!!!!!!!!!!!!!!!!
Valeu pelo apoio, Paulão.
Assino embaixo do que vc escreveu sobre anti-sionismo.
E acabei de ganhar um prêmio na China, camarada!
Abração